SINDICATO  DOS  GUARDAS  CIVIS  METROPOLITANOS  DE  SÃO  PAULO
Seja bem vindo(a) - Hoje é segunda-feira, 21 de agosto de 2017
Últimas Notícias
Governo - 18/04/2017 00:00:00

CEM DIAS DE GESTÃO DÓRIA - ANALISANDO A SECRETARIA MUNICIPAL DE SEGURANÇA URBANA

No dia 10 de Abril, o Governo do Prefeito João Dória completou 100 dias e fizemos uma breve avaliação de sua atuação política, olhando sempre do ponto de vista do trabalhador da Guarda Civil Metropolitana. Nesse momento, vamos analisar a Secretaria Municipal de Segurança Urbana, pasta que gerencia a GCM.

Recebido com grande apreensão por ser militar, o Cel. PM José Roberto assumiu a SMSU e demonstrou, neste período, ser uma pessoa afável e com grande capacidade de comunicação com o efetivo. Isto tem auxiliado muito sua gestão, evitando grandes problemas ou resistências internas. O Secretário montou uma equipe discreta, e tudo que faz, é divulgado nas suas redes sociais.

O grande trunfo da gestão do Secretário José Roberto está mesmo na comunicação. Atualmente, a SMSU tem dado bastante visibilidade das ações da Guarda Civil Metropolitana nas redes sociais e eventualmente em outras mídias, e isso agrada ao efetivo da corporação, que sempre se viu carente de uma assessoria de comunicação que valorizasse a sua atuação. 

Outra característica do Secretário José Roberto muito admirada pelos trabalhadores é a sua presença em ocasiões pontuais e de grande comoção, como quando acontece algum falecimento ou quando algum trabalhador é vítima de bandidos. Nestas ocasiões, o Secretário tem sempre se mostrado presente e isso demonstra que temos um Gestor acessível, solidário com o trabalhador no momento difícil. Muitas vezes, só pelo fato do Secretário estar presente, alguns embaraços se resolvem. Este é, sem dúvida, outro grande ponto positivo do novo Secretário.

Por outro lado, nem só de comunicação vive o homem, é preciso sair da foto e produzir de fato. A Secretaria Municipal de Segurança Urbana carece de ações de gestão para ontem, ações estas imprescindíveis, que interferem diretamente nas condições de trabalho do efetivo da Guarda Civil Metropolitana, como por exemplo a contratação de efetivo, a reposição de material de trabalho e uniforme, o encaminhamento da minuta do Decreto do Prêmio de Desempenho e a solução de alguns embaraços administrativos que dependem exclusivamente de vontade política, dos quais podemos citar a Promoção Horizontal e o deferimento dos pedidos de aposentadoria pelo Mandado de Injunção, enquanto a Emenda 039/15 estiver suspensa por medida judicial.

Nesta senda, em que pese a boa vontade do Secretário José Roberto, precisamos mesmo de pulso firme e voz política determinada dentro do governo. O Secretário precisa impor as necessidades da SMSU junto aos Secretários de Justiça, Finanças, Governo e Gestão. Na máquina administrativa, cada Secretário Municipal luta por um espaço maior e melhor alocação de recursos. Se nosso Secretário se mostrar passivo, não ganhará o espaço que a Guarda Civil Metropolitana precisa nas prioridades da política de governo. Em palavras mais populares, podemos dizer que, em certos momentos, precisamos de um Secretário que bata na mesa e não tenha receio de divergir de outros secretários e até do Prefeito, se for necessário. 

Uma demanda muito grave e que ainda não tem solução pública por parte da SMSU diz respeito ao seguro de vida do trabalhador da Guarda Civil Metropolitana. Instituído por Lei, o seguro de vida prevê indenização aos trabalhadores em caso de invalidez e indenização aos beneficiários do trabalhador em caso de morte deste, desde que em serviço ou em razão dele.

O seguro de vida contratado anteriormente venceu no dia 17 de Fevereiro deste ano e a SMSU decidiu não contratar a seguradora que venceu a licitação, alegando que o alto custo do contrato inviabiliza sua celebração. Desta feita, o Secretário José Roberto entendeu por bem encaminhar um PL à Câmara dos Vereadores, prevendo a possibilidade de indenizar as famílias dos trabalhadores da GCM que falecerem em serviço ou em razão dele, com recursos próprios dos cofres públicos, sem passar por nenhuma companhia seguradora.

Do ponto de vista do trabalhador, há dois problemas pontuais que precisam ser resolvidos nesta questão: 

1. Com a contratação de seguradora, o seguro cobria morte e invalidez e, pagando com recursos próprios, a SMSU somente poderá indenizar morte;

2. Como se percebe, aprovar uma Lei na Cidade de São Paulo não é tão rápido. O processo legislativo até que a nova Lei entre em vigor pode levar meses ou até anos e, estando sem cobertura por seguro neste intervalo, se algum trabalhador vier a morrer em serviço ou em razão dele ou sofrer acidente que resulte em invalidez permanente, a indenização poderá demorar muito tempo para ser paga.

Nesse sentido é que precisamos de pulso firme do Secretário. É preciso fazer mover a máquina burocrática e desentravar os embaraços, mesmo que para isso seja necessário cobrar veementemente os demais Secretários que atuam neste processo. SE UM POLICIAL GCM MORRER EM SERVIÇO HOJE, A PRESENÇA DO SECRETÁRIO NO VELÓRIO NÃO SERVIRÁ DE INDENIZAÇÃO À FAMÍLIA!

Ademais, a Guarda Civil Metropolitana apresenta um efetivo decrescente, frente à uma demanda crescente de atuações e intervenções. É PRECISO CONTRATAÇÃO IMEDIATA! Se não houver a contratação de efetivo, os programas prioritários do Governo Dória estarão comprometidos, como a Operação Cidade Linda, o combate ao vandalismo e pichações, a fiscalização de posturas no Parque do Ibirapuera e até o já escasso policiamento escolar. BATA NA MESA, SECRETÁRIO! FAÇA MOVER A BUROCRACIA ADMINISTRATIVA, OU NÃO TEREMOS INGRESSO NESTE SEMESTRE!

O Sindguardas-SP protocolou a pauta de reivindicações na SMSU há um mês e, até o momento, não foi formalizada nenhuma reunião ou mesa de negociação para debater as reivindicações. Muitos tópicos são de resolução na própria SMSU e se faz de suma importância o agendamento de uma calendário de negociações, para que as coisas aconteçam de fato. 

Outra demanda que não pode esperar é o adiantamento da parcela do Prêmio de Desempenho. Já conhecemos como é demorado o processo burocrático para se promulgar um Decreto na Prefeitura de São Paulo e se não houver iniciativa veemente da SMSU, os trabalhadores não receberão a parcela adiantada do Prêmio de Desempenho no mês de Junho, como é de costume. Aliás, uma ótima demanda para o Secretário José Roberto é conseguir o aumento do valor do Prêmio, que tem teto de R$ 2.000,00 desde 2011, quando foi implantado. Podemos contar contigo nesta empreita, Secretário?

Os materiais estão acabando, uniformes desgastando, mas temos fé que a SMSU empreenderá esforços para a devida reposição em tempo hábil, quiçá antes de vencer os 200 dias de governo. O inverno bate à porta e muitos trabalhadores ainda não receberam agasalho, o Secretário precisa dar atenção a isto.

Nos próximos dias faremos análises dos órgãos da SMSU - Corregedoria Geral da Guarda Civil Metropolitana, Divisão Técnica de Recursos Humanos e Centro de Formação em Segurança Urbana, além do Comando Geral da Guarda Civil Metropolitana, sempre olhando pelo ponto de vista do trabalhador GCM.

 
SINDGUARDAS-SP TRABALHANDO PARA VOCÊ!
 


Fonte: SINDGUARDAS-SP
Comentários
  • 20/04/2017
    COSTA
    E os concursados que estão aguardando? como fica? desde 2013
  • 19/04/2017
    katia
    muito bem dito!!!! e a APOSENTADORIA ESPECIAL nada?????? nao se fala mais nada, esperando o parecer do desembargador......afinal, porque nao volta a publicar novamente , imagino que no DTRH deve ter pihas de pedidos tudo parado!!!!!! e mais uma vez, esperando a boa vontade de alguem que nao esta nem ai pra GCM.... estou estafada dessa guarda!!!!
    • comentado em 20/04/2017 | por Joao

      Saia dela então

    • comentado em 28/04/2017 | por paulo

      bom sem agasalho ja estou a mais de quatro anos , em 200 dias nem se compara a quatro anos sem agasalho , o comando anterior passou o tempo todo dizendo que tinha comprado para uma corporação com 6 mil homens 5 mil ( peças ) de uniforme segundo o propio comando,nunca entendi as claras se era 5 mil peças ou 5 mil uniformes completo , bom se fosse 5 mil uniformes completo ja seria uma aberração para uma corporação com 6 mil GCMs .E sendo por quatro anos ?

Contador de Visitas

1671330
Visitantes online
Pesquise no site