Painel do Associado
Seja bem vindo ao
PAINEL DO ASSOCIADO


Voltar
RECUPERAÇÃO
DE SENHA

Atenção, enviamos o e-mail de recuperação de senha para:

Por favor, verifique seu e-mail para recuperar sua senha.

Visitantes On-line
72
Total de Visitas
3089087

Sindicato dos Guardas Civis
Metropolitanos de São Paulo

Central de Atendimento WhatsApp
11 98534-0105 / 98132-4349 / 98132-9367

Central de Atendimento WhatsApp
11 98534-0105
98132-4349 / 98132-9367

Notícias

publicado em 21/02/2018
AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO DA GCM NO CARNAVAL
O Sindguardas-SP acompanhou a ação da Guarda Civil Metropolitana na operação Carnaval 2018, em vários pontos da cidade e recebeu diversas reclamações do efetivo, na maioria das vezes causadas por erro ou falta de planejamento. A principal reclamação dos policiais da Guarda Civil Metropolitana foi sobre a carga excessiva de horas de trabalho, mas tiveram outros casos pontuais.

Muitos policiais trabalharam mais de 16 horas por dia, sem alimentação adequada, muitas vezes sem poder usar o banheiro, por problema de desorganização e falta de planejamento.

No centro de São Paulo, no dia 10/02 os policiais da Guarda Civil Metropolitana entraram de serviço às 08h00 e até às 23 horas não tinham nenhuma expectativa de liberação, simplesmente porque os bloquinhos ainda estavam festejando na região central.

É um absurdo! Parece que na quinta-feira a Superintendência de Operações descobriu que haveria carnaval na Cidade.

Não fosse a intervenção sindical, e a pronta disposição do Subcomandante Edson, que se deslocou ao local para dispensar o efetivo, os policiais da GCM teriam passado 24 horas trabalhando, simplesmente por falta de rendição! Mesmo assim, muitos policiais tiveram de dormir na unidade de trabalho, porque já não tinha mais transporte público na região onde moram.

E convém lembrar: a prefeitura de São Paulo não paga por horas extras!

Além desta reclamação sobre a carga horária, recebemos outras reclamações sobre a questão de transporte para o Anhembi e transporte de volta para a Inspetoria; um Inspetor da GCM deixou o efetivo em forma por cerca de três horas para prelecionar e este efetivo teve de se alimentar de pé no Anhembi, ainda em forma;  No Sábado (10/02) terminou o desfile por volta das 06h00, mas o efetivo da GCM só foi liberado do serviço mais de 09h00 da manhã, sem a menor necessidade, afinal, não tinha mais nada no local.

O Sindguardas-SP levou todas as demandas ao Comandante Geral da GCM IS Braga e quase todas elas foram prontamente solucionadas, mas o que se percebe é que houve um grave erro de planejamento no Carnaval desse ano. Em que pese o evento se dar no momento de transição de Comando, entendemos que a Superintendência de Operações falhou no planejamento.

Todas as reclamações do efetivo foram apontadas em reunião com o Comando Geral e serão pautadas para que não se repitam em próximos eventos, mas entendemos que deve haver apuração de responsabilidade funcional, para responsabilizar quem de fato causou transtorno aos policiais da GCM empenhados na operação, seja pelo erro de planejamento, seja pelo erro de execução no planejamento.
O que não dá é para manter um policial de serviço por 16 horas contínuas simplesmente porque ninguém previu equipe de rendição no evento da região central!

 
SINDGUARDAS-SP, HÁ 25 ANOS TRABALHANDO PARA VOCÊ!

Onde Estamos
Rua Xavier de Toledo - 84 - 2º Andar - São Paulo | Telefones: 11 3231 - 0330 / 3231.4902 | Próximo ao metro Anhangabaú

Logo Infosind
Carregando . . .