SINDICATO DOS GUARDAS CIVIS METROPOLITANOS DE SÃO PAULO
Visitantes On-line
48
Total de Visitas
2590581

Central de Atendimento (11) 3231-0330

Notícias

publicado em 20/07/2018
INTIMIDAÇÃO E POUCAS RESPOSTAS - RESUMO DA REUNIÃO DO COMANDO GERAL COM O EFETIVO DA ZONA LESTE
Na manhã desta quinta-feira (19/07), aconteceu na zona leste de São Paulo uma reunião entre o Comandante Geral da Guarda Civil Metropolitana Carlos Alexandre Braga e o efetivo da área leste.

A Diretoria do SindGuardas-SP acompanhou a reunião e a conclusão que se pode tirar é de que não foi uma boa reunião. Quando se tira parte do efetivo do seu momento de descanso o mínimo que se espera é que saiam da reunião mais esclarecidos do que chegaram. Não foi o que ocorreu.

No início da fala do comandante foi apresentado um power point, com o novo organograma da GCM e com dados de entrada e saída de efetivo. Ocorre que ninguém conseguia ler o que estava escrito e, ainda assim, os dados apresentados estavam errados.

A GCM está passando por um profundo processo de reorganização estrutural promovido pelo decreto nº 58.199, de 18/04/2018 e, estamos quase em agosto e o efetivo não tem idéia de como ficará sua vida. Entraram na reunião sem saber e saíram dela sem qualquer informação relevante. Somente que haverão remoções.

Seguramente o efetivo gostaria de saber quando terão reforço no efetivo. Onde será a sede da unidade responsável pela área do Itaim e São Miguel? Porque, dependendo de onde for, terá impacto financeiro na vida das pessoas. Não tiveram qualquer informação sobre isto.

O mais preocupante, do nosso ponto de vista, foi a postura do comandante ao ler as perguntas feitas pelo efetivo através de filipetas. O comandante passou mais tempo tecendo críticas à maioria das perguntas do que efetivamente respondendo. E as respostas que deu, foram extremamente evasivas.

Em uma pergunta encaminhada, que questionava a falta de planejamento em uma operação de desfazimento, ocasião em que o efetivo inteiro trabalhou por 15 horas e somente veio a receber algum tipo de alimentação (água e bolacha) depois de transcorridas 10 horas de trabalho, ao invés de responder sobre a operação, o Comandante Geral preferiu intimidar a quem questionou, dizendo que ela seria realocada na Superintendência de Operações para planejar as próximas operações.

ISSO É UM ABSURDO! Primeiro porque a Superintendência de Operações é composta por Inspetores que têm as atribuições e os salários para fazer o planejamento. Se, para planejar uma operação sem que o efetivo sofra desnecessariamente, for necessário levar o guarda da ponta da linha para fazer, pode fechar a SOP.

Se o efetivo só pode perguntar o que o comandante quer responder, porque possibilita a pergunta? Ao intimidar um servidor por ter feito um questionamento critico em uma reunião, onde havia o espaço para questionar, qual a mensagem que está mandando ao restante do efetivo? E não foi a primeira vez, visto que na reunião com o efetivo do centro a postura do comandante foi a mesma. Após um comentário feito por um trabalhador, que não foi bem digerido pelo Comandante, o autor do comentário foi realocado pra SOP como forma de retaliação.

Contraditoriamente o comandante reclamou, com razão, diga-se, da cultura de bizús e maledicências de rede social. Agora como ele espera acabar com bizús se faz uma fala que que não esclarece ao efetivo e, quando questionado, intimida o servidor com realocação?

Esse não é o comportamento que se espera do profissional que ocupa o espaço mais alto da Guarda Civil Metropolitana. Se o efetivo faz críticas ou questionamentos, dentro do espaço adequado, sobre problemas de gestão, o que se espera é que o Comandante Geral dê resposta técnica, respeitosa com o trabalhador e busque melhorias na gestão, para que se minimizem as reclamações. 

A Diretoria do SindGuardas-SP sempre se manterá a disposição de colaborar com qualquer um que ocupe o comando da instituição em todas as ações necessárias ao avanço da corporação e a melhoria da vida dos trabalhadores e, faz parte deste espírito apoiar as medidas e os caminhos adotados estão corretos e apontar quando estão equivocados.

 
SINDGUARDAS-SP, HÁ 25 ANOS TRABALHANDO PARA VOCÊ!

Onde Estamos
Rua Xavier de Toledo - 84 - 2º Andar - São Paulo | Telefones: 11 3231 - 0330 / 3231.4902 | Próximo ao metro Anhangabaú

Logo Infosind