SINDICATO DOS GUARDAS CIVIS METROPOLITANOS DE SÃO PAULO
Visitantes On-line
137
Total de Visitas
2433253

Central de Atendimento (11) 3231-0330

Notícias

publicado em 19/08/2019
O 153 VAI ACABAR?
  Neste final de semana o assunto que dominou as redes sociais dos integrantes da Guarda Civil Metropolitana foi o comunicado 332/2019, que trazia em seu bojo a seguinte informação:

“A Guarda Civil Metropolitana informa que, o telefone de contato da GCM (153) será migrado aos canais SP156, para simplificar o acesso da população a serviços municipais e denúncias.
 "A migração acontece entre segunda e terça-feira (19 e 20/08) e deve deixar o sistema da GCM inoperante por, pelo menos, três horas. ”

  Com a edição deste comunicado as pessoas passaram a afirmar que o 153 seria extinto e arautos do caos agitaram as redes sociais falando de perda de identidade institucional, conspirações militares contra a GCM, dentre outras coisas.

  A Diretoria do Sindguardas-SP fez contato com o Secretário José Roberto e este prontamente nos respondeu que as chamadas passariam a ser atendidas na central 156, mas que as pessoas irão ligar no 153 e as ligações serão direcionadas à central 156, onde serão recepcionadas com atendentes supervisionados por GCM’s.

 Nesta segunda-feira (19/08), a Diretoria do Sindguardas-SP fez contato com a Comandante Elza e esta também afiançou que o 153 não será extinto.

  Foi sugerido à Comandante Geral a emissão de uma nota explicando ao efetivo o que, de fato, ocorrerá.

  Em seguida foi emitido, a pedido do Sindguardas-SP, o comunicado 336/19, cancelando o comunicado 332/19.

  A partir disto é importante fazer algumas considerações:

  A primeira delas diz respeito a forma como as coisas são comunicadas ao efetivo. Qual a razão de um comunicado com esta dimensão ser publicado numa sexta-feira após as 18h? Principalmente porque, visivelmente, buscava informar que o sistema ficaria inoperante durante um período para a mudança, entre SEGUNDA e TERÇA-FEIRA.

  Além do mais, o texto do comunicado é confuso o suficiente para, de fato, causar na cabeça das pessoas toda a balburdia e insegurança que provocou, sem ter ninguém durante o final de semana com poder de decisão para corrigir o comunicado de forma que a informação fosse mais clara ao efetivo.

 Uma correção tempestiva também impediria que pessoas cujas intenções é a de criar mais confusão na cabeça do efetivo e que nunca contribuíram com nada para a instituição se aproveitassem destas situações para se colocar como algum tipo de referência para nossos policiais.

 Outra consideração importante a ser feita, tem a ver com nós, integrantes da instituição. Temos que aprender a não ficar sofrendo por antecedência e a não sair tirando conclusões a partir de um texto confuso de quatro linhas, tampouco a não dar ouvidos para pessoas, alheias à nossa corporação, cujos interesses não são os mesmos que os dos profissionais da corporação.

  Por fim o Sindguardas-SP tem como seu escopo principal defender os trabalhadores da Guarda Civil Metropolitana e não a instituição em si. No entanto, temos plena consciência de que, em muitas ocasiões, para fazer a defesa dos indivíduos, temos que ocupar o espaço que outros atores institucionais deveriam ocupar e fazer a defesa institucional também.

  Não nos furtaremos em fazer isso sempre que necessário, neste sentido é importante que o Comando da Guarda Civil Metropolitano informe ao seu efetivo o que, de fato, irá ocorrer, para que situações como a deste final de semana não se repitam.

 
SINDGUARDAS-SP TRABALHANDO PARA VOCÊ!

Onde Estamos
Rua Xavier de Toledo - 84 - 2º Andar - São Paulo | Telefones: 11 3231 - 0330 / 3231.4902 | Próximo ao metro Anhangabaú

Logo Infosind