Painel do Associado
Seja bem vindo ao
PAINEL DO ASSOCIADO


Voltar
RECUPERAÇÃO
DE SENHA

Atenção, enviamos o e-mail de recuperação de senha para:

Por favor, verifique seu e-mail para recuperar sua senha.

Visitantes On-line
135
Total de Visitas
3211646

Sindicato dos Guardas Civis
Metropolitanos de São Paulo

Atendimentos através dos números abaixo

Central de Atendimento WhatsApp
Jurídico: 11 98534-0105 / ADM: 98132-9367 / ADM2: 98132-4349 / Benefícios: 98132-9981

Central de Atendimento WhatsApp
11 98534-0105 / 11 98132-9981
98132-4349 / 98132-9367

Notícias

publicado em 10/04/2020
JUSTIÇA | BRUNO COVAS | GUARDA CIVIL METROPOLITANA
ABSURDO

Não existe outra palavra para descrever a decisão proferida pelo Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Para um entendimento amplo, o SindGuardas-SP ingressou com ações na justiça para que se fizesse cumprir o mínimo em termos de prevenção de contaminação pelo covid-19. Juízes de 1ª instancia concederam liminares obrigando que a prefeitura fornecesse os equipamentos de proteção, como máscaras, luvas e álcool gel, bem como mantivesse em regime de teletrabalho os policiais que compõe o grupo de risco.

O Presidente do TJ-SP Desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco, a PEDIDO do Prefeito Bruno Covas, implementou uma medida de EXCEÇÃO suspendendo as liminares que pretendiam proteger, entre outras, policiais femininas gestantes, e as que estão amamentando os filhos recém nascidos.

Na prática esta decisão expõe a gravíssimo risco de morte uma pequena parcela dos integrantes da GCM, seres humanos inocentes que devem estar se sentido no corredor da morte.

Para embasar o absurdo, entre outros argumentos absurdos, a Presidência do TJ-SP diz:
“Por isso mesmo, decisão judicial não pode substituir o critério de conveniência e oportunidade da Administração, mormente em tempos de crise e calamidade, tendo em vista que o Poder Judiciário não dispõe de elementos técnicos suficientes para a tomada de decisão equilibrada e harmônica”.

Ora senão vejamos, o Desembargador entende que sim, é conveniente ao Alcaide Paulistano o Sr. Bruno Covas, mandar para morrer mães e filhos, uma vez que se a mãe se contamina, ao amamentar, muito provavelmente, contaminará seu filho. De forma harmônica a presidência do TJ-SP deu salvo conduto para que o Senhor do Engenho Bruno Covas mantenha seus escravos sob trabalho penoso, por falta de uniformes, falta de efetivo, falta de investimento. Tudo isso de forma quase subserviente vindo do órgão que deveria reequilibrar a balança.

Este é o absurdo da justiça paulistana em pleno século 21. Atos assemelhados aos praticados nos momentos mais tenebrosos da história humana, como, as ditaduras, a escravidão, o holocausto.

Absurdo que deve estar envergonhando a magistratura paulista, e "aflora" a verdadeira essência do Prefeito/Senhor do "Engenho paulistano", Bruno Covas.

A quem recorrer quando a autoridade máxima da cidade praticamente decreta pena de morte e a autoridade máxima da justiça parece agir como um mero capitão do mato?

#tribunaldejustiça #prefeitobrunocovas #brunocovas #justiça #sp #guardacivil #guardacivilmetropolitana #guardacivilmunicipal #sãopaulo #sindicato #sindguardassp

Onde Estamos
Rua Xavier de Toledo - 84 - 2º Andar - São Paulo | Telefones: 11 3231 - 0330 / 3231.4902 | Próximo ao metro Anhangabaú

Logo Infosind
Carregando . . .